Lena Rodriguez



Terapeuta Multidisciplinar

 natural de São Paulo-SP, residindo no Sul de Minas

Curriculo: Formação desde 1996

*MTC – Medicina Tradicional Chinesa (Acupuntura) pelo Instituto TAI YI, com os Profs. Drs: Ernesto G. Garcia e Pedro P. Arias;

*Auriculoterapia pelo: SBEMO – Sociedade Brasileira de Estudos de Medicina Oriental, prof. Wilson S. Fujiki - Auriculotherapy International Research and Training Center, profª Huan Li Chung;

*ABAK- Associação Brasileira de Acupuntura Koryo Sooji, prof. Ricardo Hyun Su Sim;

*Docente em Terapia Floral pelo Centro de Investigacion y Desarrollo de las "Flores de Raff", com Prof. Dr. Jorge Luiz Raff;

*Pacific Essences, com Sabina Petit,

*Florais de Minas, com Dr. Breno Marques da Silva;

*Kinesiology = BM – Instituto Brasileiro do Balanceamento Muscular(teste muscular), com os intrutores: Andrea Brunchport e Osvaldo Higa Senaga;

*PNL – PHDI – Programação do Hemisfério Direito – Programação Neurolinguística, com a Profª Emília Seoane Diegues;

*Mestrado em Reiki, Prof. Paulo César Portellada;

*Elixir de Cristais – Prof. Dr. Osvaldo Coimbra Jr.

*Eneagrama - Estudo das 9 Personalidades Básicas do Homem - Prof. Khristian Paterhan

*Radiestesista  – Prof. Ricardo Plaça

Embasamento: Não podemos ver o indivíduo somente com um corpo físico, o ser humano é um complexo energético, antes das doenças se manifestarem no corpo físico há todo um processo psico/emocional, daí decorrendo a somatização. A ciência acadêmica, a física quântica tem comprovado com frequência e não há como negar mais a importância do equilíbrio como um todo.

É muito importante que comecemos a dar o primeiro passo no sentido de buscarmos as causas, mesmo aquelas que ainda não se manifestaram no corpo físico, pois a médio ou longo prazo somatizações = doenças, decorrentes de padrões mentais e consequentemente, emocionais, inevitavelmente surgirão = físico.

Toda minha formação não foi para me tornar uma Terapeuta e sim, a busca para minha própria cura. À partir desta, foi inevitável desejar que outros pudessem ter a mesma ajuda.

Acredito em tratamentos não agressivos e que vá na causa real do problema que se apresenta, que por prática e vivência, só se dá em nossa mente, fazendo-nos 100% responsáveis por todos e tudo a nossa volta, em nosso mundo, juntamente com processos de despertar, sairmos desse circulo vicioso e pararmos com a auto crucificação...

Algo precioso que aprendi foi a auto aceitação. Aceitar-se não quer dizer se resignar, precisamos carregar em nossa bagagem mais culpas, mas sim que – "estamos assim" - porém, temos escolhas...

A partir do auto cuidado e vivência tive por ideal de vida ser um elo de auxílio para que outros pudessem sentir o mesmo bem estar físico, mental, emocional e espiritual, resumindo, um estar de bem com a vida =  paz interior. Paz que conseguimos ao libertar nossa mente de programas, registros subconscientes, cuidando do corpo físico com nutrientes imprescindíveis para nos dar suporte e assim, acessarmos o Verdadeiro Curador, que está em TODOS nós!

Sou  grata à existência, a tudo que pude ter acesso para desvelar o EU que Realmente Sou... Gratidão, igualmente a todos que confiaram e confiam em meu trabalho.

Lena Rodriguez

"Não existem doenças, existem doentes" [Dr.Bach]

Paracelso (1493 – 1541) foi um destacado médico, físico, alquimista e astrólogo suíço. Sua inquietude e anseio por novos conhecimentos fizeram dele um dos mais polêmicos homens da era renascentista. Seus feitos foram muitos, mas para o enredo desse conteúdo, o que interessa é o fato dele acreditar que os males do corpo eram provocados por “estados de espirito PERTURBADORESe NÃO por CAUSAS FÍSICAS. Sua crença era de que as doenças tem sua origem na natureza invisível do homem, ou seja, em um contexto imaterial.

"A aceitação da doença como uma decisão da mente, com um propósito para o qual ela quer usar o corpo, é a base da cura. E isso é assim para a cura em todas as formas."(UCEM)

A doença é um pedido de amor

Milagres são meramente a tradução da negação em verdade.  Se amar a si mesmo é curar a si mesmo, aqueles que estão doentes não amam a si próprios. Portanto, estão pedindo o amor que os curaria, mas que estão negando a si mesmos. Se conhecessem a verdade acerca de si mesmos,  não  poderiam  estar  doentes. A tarefa do trabalhador de milagres vem a ser, então, negar a negação da verdade. Os doentes têm que curar a si mesmos, pois a verdade está neles. No entanto, tendo-a obscurecido, a luz em outra mente tem que brilhar nas suas, porque essa luz é deles. (UCEM - T-12.II.1) 

Pensando estar realmente num mundo de separação, estamos negando a verdade sobre nós. Negando que somos filhos do amor, nos achamos indignos de ser amados. Na visão do Curso a doença é um pedido de amor por alguém que se sente sem ele. Ela é, então, uma das formas que reflete a situação em que todos nós, que nos vemos sós, isolados, separados, pensamos estar.

Um curador é, para Um Curso em Milagres, um irmão que lembra a outro sobre a verdade que este esqueceu sobre si mesmo. Dessa maneira, o primeiro apenas ajuda seu igual a recuperar a memória de que ele cura a si mesmo porque “a verdade está nele”. O curador, nessa definição, serve ao doente espelhando a luz que ele não consegue ver em si mesmo, mas que necessariamente precisa estar em ambos. Assim, curador e curado reconhecem que ambos são o mesmo.

Recuperando a consciência dessa verdade, ambos negam a primeira negação à verdade de Quem são, que é o que traz a necessidade de nos manter na doença. Portanto, com a cura, a crença na separação vai caindo por terra até estarem prontos para acolher a realidade e se dissolverem no Amor de Deus, onde somos todos Um e o mesmo.

Um Curso em Milagres

Algumas palavras que julgo de importância por vivenciá-las...

“...Muito importante... Ter a mente certa não significa necessariamente jogar fora seus remédios ou se recusar a procurar o médico ou terapeuta. Esse tem sido um erro de muitos cientistas cristãos. Eles criaram um sistema de comportamento a partir daquilo que se supõe ser um exercício de poder da mente. Se tomar um determinado remédio o fizer se sentir melhor, é porque sua mente inconsciente acha isso aceitável. Em outras palavras, você pode aceitar esse remédio em particular sem medo.

Isso é verdadeiro a respeito de qualquer coisa que pareça funcionar, ainda que  tudo,  exceto  a  salvação,    funcione  temporariamente.  Na maior parte dos casos, é melhor permitir ao  paciente,  e  a  você  mesmo nesse aspecto, a usar uma combinação de uma cura da mente certa e de alguma forma de mágica – seja à partir da  indústria  de  cura  tradicional, ou outras formas de  cuidados  de  saúde.  Dessa  forma,  a  mente  pode aceitar a melhora sem o medo que acompanharia uma cura súbita  e  espontânea. Quando existe uma cura desse tipo, todo o sistema de crenças inconsciente do paciente pode ser questionado. Algumas pessoas conseguem lidar com isso, e outras não. Ocasionalmente, isso dispara um grande medo da parte do ego. 

Não olhe com má vontade para os diversos métodos de cura das pessoas e não deprecie ninguém por usá-los. Em muitos casos, eles ainda são uma parte necessária da cura, em termos da mente ser capaz de enfrentá-la. Apenas use a cura da mente certa ao mesmo tempo, porque a prática leva à perfeição..." (ODU)

"A doença não é pessoal. Você pode  achar  difícil  de  acreditar, mas a doença não é feita por você nesse nível. Essa é apenas outra  razão pela qual ninguém deveria se sentir mal se ficar doente. Você não  escolhe o câncer nesse nível mais do que um bebê escolhe ser deformado. A doença foi criada por sua mente em um nível mais amplo, e está sendo encenada aqui de maneira pré-determinada. Você  pode  entrar  em  contato  com seu poder de escolher e, portanto, tem uma influência enorme sobre se vai sentir dor ou não, e, algumas vezes, se vai reduzir ou eliminar  seus  sintomas físicos..." (ODU)

"... Escolhe outra vez o que queres que ele seja, lembrando-te de que cada escolha que fazes estabelece a tua própria identidade assim como tu a verás e acreditarás que és." (UCEM) 

“Tudo é provocado pela mente – não apenas a doença, mas também as curas milagrosas. Todas as coisas, aparentemente boas e más, das curas milagrosas à AIDS, à anorexia, à combustão humana espontânea, à stigmata, são feitas pela mente. Cada doença que você conhece, e cada uma que virá, é feita pela mente. O que é uma bactéria além de projeção? O que é o transtorno bipolar além de uma forma de dualidade, proclamando que a separação é real? 

A epidemia de AIDS é apenas uma forma nova da mesma coisa antiga... Se não fosse a AIDS seria alguma outra coisa. No século 14, a peste negra matou mais de quarenta milhões de pessoas. O número de pessoas mortas pela AIDS não é nada comparado a um percentual da população, embora as mortes pela AIDS um dia vão ultrapassar a marca dos quarenta milhões. Uma vez que a mente cria todas as doenças, o que acontece é que, quando uma doença é erradicada, ela simplesmente cria outra. Isso dá a ilusão de progresso e de esperança, enquanto mascara o fato de que as pessoas têm mais mortes horríveis do que nunca por causa de doenças...” (ODU)

Gosto muito desse trecho do livro O Desaparecimento do Universo = fim do ego, pois sei o quanto tudo o que fui buscar na área vibracional me permitiu forças extras para, além de minha própria cura, ir para o meu interior, onde o curador me esperava para "completar" sua obra e continua completando dentro da minha limitada percepção... Isto me fez lembrar uma das lendas da Vitória Régia que diz muito respeito a mim: 

“Ansiava pela maravilhosa mudança do seu grosseiro e cotidiano viver terreno para aquela divina existência eterizada. Mas a realidade enganava-a constantemente, passava as noites perseguindo o noivo celestial que debruçava-se de colina em colina, cada vez mais fascinante, entretanto, mais fugitivo de sua doentia paixão... Sem conseguir perceber que Ele estava e sempre esteve ali mesmo...” Gratidão!!!