O estresse, como tantos outros, é apenas um sintoma que se manifesta ativado por antigas memórias, situações traumáticas vividas e que a médio e longo prazo levam às doenças de fato.

Uma Terapia Floral voltada ao  sintoma mostrará os padrões mentais e emocionais envolvidos, desfazendo-os, dissolvendo-os ... Este método de cura com florais, usado para o auto conhecimento, gera um processo de transformação de nossas disposições mentais erradas, denominado metanóia, palavra de origem grega, cujo significado é arrependimento, conversão, seja  ela espiritual ou intelectual: mudança de atitudes, de direção da mente... Em outras palavras, só depende de cada um de nós e os florais é um amoroso aliado àqueles que estão cansados de repetir as mesmas memórias...

Lena Rodriguez

*****

O estresse pode trazer à tona memórias antigas e sem relação com os eventos traumáticos, de acordo com um estudo publicado no periódico PLoS Biology. Essa descoberta pode levar ao melhor entendimento do processo que leva ao desenvolvimento do transtorno de estresse pós-traumático (TEPS) e ao desenvolvimento de tratamentos mais efetivos para o problema.

O estudo foi conduzido por pesquisadores da Academia Tcheca de Ciência em conjunto com a Universidade Estadual de Nova York e a Universidade Rockefeller.

“Nossa pesquisa mostrou que o estresse ativa memórias, mesmo aquelas que não têm nada a ver com o atual evento”, explica André Fenton, autor principal do estudo. Os resultados podem levar a novas hipóteses sobre como o TEPS e outros transtornos do humor são desencadeados pelo estresse, completa o pesquisador.

Uma resposta comum observada em indivíduos que sofrem com o TEPS e diversos outros transtornos de ansiedade e do humor é a formação de associações negativas com estímulos que antes eram vistos como neutros. O que não era claro era como o estresse causava essas associações. Os pesquisadores então se valeram de experiências feitas com modelos animais para descobrir essa relação.

Nos experimentos, os animais que haviam passado por uma situação estressante tinham melhores lembranças de uma situação não relacionada (como lembrar o melhor caminho em um labirinto percorrido antes e após o estresse induzido dias depois). Diversos outros experimentos foram feitos para comprovar essa relação com “rememórias” de eventos distintos.

A hipótese dos autores é que, em humanos, essas situações traumáticas podem levar a reativação de memórias diversas e que, por algum motivo, são relacionadas com os traumas sofridos. Isso, dizem os pesquisadores, poderia explicar o aparecimento de outros transtornos sem relação inicial com o TEPS.

-

com informações da New York University

Lena Rodriguez

www.cuidebemdevoce.com