A medicina psicossomática deixou de ser um ramo de segunda classe. A influência dos sentimentos sobre a saúde física nunca foi tão pesquisada e o controle das perturbações psíquicas entrou para os receituários clínicos.

O PREÇO DA PRESSÃO E SUA REPERCUSSÃO NO ORGANISMO

As emoções põem traduzir-se em respostas somáticas no eixo hipotálamo-hipofise-supra-renal. Quando isso acontece, altera-se a sintonia entre o cérebro e os sistemas endócrino e imunológico, o que leva ao desencadeamento e uma série de problemas.

1-  Hipotálamo > estrutura do sistema límbico, a sede cerebral das emoções, o hipotálamo deflagra as reações físicas aos desgastes emocionais.

 

2-  Hipófise > controlada pelo hipotálamo, a hipófise é uma glândula localizada na base do cérebro. Ela comanda o trabalho da maioria das outras glândulas endócrinas.

 

3-  Supra-Renais > situadas acima dos rins, essas glândulas são encarregadas de fabricar os hormônios relacionados ao stress adrenalina, noradrenalina e cortisol.

 

¨Distúrbios Cardiovasculares > Infarto, derrame, hipertensão, arritmias. Situações de pressão emocional estimulam a liberação dos hormônios adrenalina, noradrenalina e cortisol, entre outros. Com isso, o coração bate mais rápido, a pressão arterial sobre e as taxas de colesterol aumentam. Um estudo com pacientes de hipertensão mostrou que 80% deles associaram a crise de pressão alta a um evento de desgaste emocional.

 

¨Dores Crônicas > Dor nas costas, cefaléias, dor pré-menstrual, fibromialgia, síndrome de fadiga crônica. A descarga de adrenalina e cortisol na corrente sangüínea reduz a produção de endorfina e serotonina, substancias associadas ao alicio da dor e a sensação de bem-estar, respectivamente. Vários estudos já mostraram que um evento emocionalmente desgastante pode aumentar a sensação dolorosa em até 20%.

 

¨Afecções Dermatológicas > Hiperidrose, prurido, dermatite, queda de cabelo, psoríase, herpes, vitiligo. É bastante comum sentir na pele as aflições psíquicas. Isso porque a pele é um órgão repleto de terminações nervosas, o que a torna muito sensível às alterações da química cerebral. Pessoas ansiosas, depressivas e estressadas tendem a desenvolver ou piorar problemas como dermatite, acne, psoríase e queda de cabelo.

 

¨Doenças Endócrinas >Diabetes tipo 2, hiper ou hipotireoidismo e hipoglicemia. Como o hipotálamo modula também as defesas do organismo, um problema de ordem emocional pode desencadear um ataque do sistema imunológico à tireóide e ao pâncreas, o órgão produtor de insulina. A descara hormonal desregula a liberação de glicose na corrente sangüínea, o que leva ao diabetes ou a hipoglicemia.

 

¨Problemas Gastrointestinais > Distúrbios esofágicos, dispepsia, diverticulite, diarréia, constipação, gastrite, úlcera gástrica, síndrome do intestino irritável, retocolite ulcerativa. Em resposta à pressão emocional, o organismo aumenta a produção de substancias tóxicas ao estomago e aos intestinos. Em 75% dos casos, a colite ulcerativa é psicossomática. O desequilíbrio na produção de noradrenalina e cortisol aumenta ou reduz, ainda, os movimentos intestinais, agravando alguns distúrbios, como a diverticulite.

 

¨Problemas Respiratórios > Asma, hiperventilação, rinite alérgica. Problemas de ordem emocional podem desequilibrar a produção das substancias envolvidas na dilatação dos brônquios, agravando os sintomas da asma. Pode ocorrer ainda uma resposta desmedida do sistema imunológico a determinados alérgenos, como a poeira, deflagrando uma crise alérgica.

 

¨Distúrbios Imunológicos > Lupus, artrite reumatóide, depressão imune inespecifica. A atividade integrada entre o hipotálamo, a hipófise e a glândula supra-renal repercute diretamente no sistema imunológico. Com a falta de sintonia entre esses sistemas, as células de defesa passam a atacar outras células do organismo.

Fonte > Revista Veja

*****


Lena Rodriguez

Cuide Bem de Você!

www.cuidebemdevoce.com