Muitos cientistas adotam uma visão renovadora, holística (que é a percepção do ser vivo na sua totalidade) de terapias, chamadas de medicina vibracional ou energética.

Numa definição de Richard Gerber, (médico graduado pela Wayne State University, em Detroit, EUA, na medicina ocidental convencional, pratica medicina interna na cidade de Livonia, Michigan, EUA, onde reside e, tornou-se a mais renomada autoridade em medicina energética, estudando-a desde 1994):

"Medicina vibracional é toda tentativa de curar o corpo e transformar a consciência através da manipulação da substância básica energética (ou energia vibracional), da qual somos constituídos, atuando sobre os padrões energéticos que comandam a expressão física da vida."

Esta medicina enfoca o corpo como um sistema integrado de energia vital, morada da alma e de todas as expressões criativas desta. Os cientistas reconhecem que a mente tem capacidade de influenciar os mecanismos biomoleculares que regulam o funcionamento do organismo. Vários estudos mostram que os seres vivos são compostos de energias multidimensionais. O organismo é constituído por múltiplos sistemas energéticos que se influenciam reciprocamente.

A medicina vibracional é também chamada de medicina "energética", porque, segundo a teoria da relatividade, matéria e energia são a mesma coisa (matéria é energia condensada).

O Dr. Richard Gerber ensina:

"No mundo da medicina vibracional, a doença é causada não só por germes, substâncias químicas e traumas físicos; mas também por disfunções crônicas dos padrões de energia emocional e pelos maus hábitos de relacionamento da pessoa consigo mesma e com os outros. O caminho vibracional não usa bisturis e medicamentos de laboratório para tratar as doenças, mas sim diferentes formas de energia para produzir transformações curativas na mente, no corpo e no espírito do doente".

Como funcionam os florais?

As essências florais, quando ingeridas, percorrem um caminho específico através dos corpos físico e sutil. Inicialmente, elas passam pelo sistema circulatório (a corrente sangüínea). Em seguida, o remédio deposita-se a meio caminho entre os sistemas nervoso e circulatório. Nesse ponto, a polaridade entre os dois sistemas gera uma corrente eletromagnética. Existe, na verdade uma estreita ligação entre esses dois sistemas e a força vital e a consciência, ligação essa que a ciência moderna ainda não compreende. A força vital atua mais através do sangue, enquanto a consciência atua através do cérebro e do sistema nervoso... A força vital e a consciência utilizam estas propriedades para penetrar no corpo físico e estimulá-lo.

A partir da metade do caminho entre os sistemas nervoso e circulatório, o remédio em geral desloca-se diretamente para os meridianos. Saindo dos meridianos, a força vital penetra nos diversos corpos sutis e chacras ou retorna diretamente para o corpo físico, no nível celular, através de vários portais situados a meio caminho entre os sistemas nervoso e circulatório. Seu percurso é determinado pelo tipo do remédio e pelo temperamento da pessoa.

Determinadas partes do corpo físico atuam como portais para as forças vitais de um remédio vibracional apenas porque estão associadas a diferentes chakras ou meridianos. A força vital de um remédio vibracional geralmente tende a dirigir-se para um portal, embora possa reentrar no corpo físico através de diversos portais.

Depois de atravessar um dos portais que acabamos de descrever, a força vital passa a meio caminho entre os sistemas nervoso e circulatório, antes de atingir o nível celular e as áreas desequilibradas do corpo físico. Embora esse processo todo aconteça de forma instantânea, geralmente leva algum tempo para que se possa sentir os resultados.

“E possa eu sempre ter gratidão no meu coração pelo Grande Criador, que em toda Sua glória, colocou as ervas nos campos para a nossa cura.” Dr. Edward Bach


“Medicina Vibracional - Uma Medicina para o Futuro” de Richard Gerber, M.D.