Por Lena Rodriguez – Terapeuta Vibracional

Jamais tivemos tantas oportunidades de nos livrarmos das correntes que nos prendem em tantos padrões emocionais que só nos causam sofrimentos, insatisfações, tormentos interiores ...e, infelizmente a médio e longo prazo, (quando já não se encontra somatizada) -  as doenças -, estas, sendo apenas o grito da Alma, chamando-nos a atenção para o que não vai bem em nós e assim, refazermos o caminho inverso!

A remoção da dor, através de medicamentos químicos não modifica nada na situação da pessoa afetada, muitas vezes surte algum efeito, outras apenas tendo um efeito temporariamente  limitado. A medicina e a psicologia acadêmica já reconheceu que sintomas "eliminados" por tratamentos alopáticos ou até cirurgias voltam a emergir em outro lugar.

O corpo sempre está  nos mostrando o que não vai bem... o conteúdo psicológico associado a vários tipos de doenças por não conseguirmos trabalhar  adequadamente em nossa psique, não são percebidos conscientemente, manifestando-se, então, em nosso corpo físico, para que assim os possamos vivenciar, para superar e integrar seus conseqüentes desafios e ensinamentos...

O psicoterapeuta alemão Rüdger Dahlke, em seu livro A Doença Como Caminho, diz : “o corpo, como expressão do mundo material, tem a freqüência de vibração mais baixa, o plano anímico tem uma freqüência média, enquanto o plano mental tem a freqüência mais alta. Para que um tema que se degradou ao plano inferior de freqüência de vibração como sintoma corporal seja elevado ao nível anímico, é preciso injetar-lhe energia. Mais energia ainda é necessária para elevá-lo ao plano mental. Na interpretação dos sintomas da doença, essa energia deve surgir sob a forma de conscientização e de entrega.”

O reconhecimento de que a doença é da mente e não tem nada a ver com o corpo, já havia muito antes, sido descoberto por Georg Groddeck, precursor dos livros de "auto-cura" e considerado um gênio, ainda que totalmente desconhecido e não citado no meio acadêmico.

O Dr. Edward Bach, após ter contraído um câncer e lhe ter sido dado apenas 3 meses de vida, foi em busca de sua cura, totalmente afinado com seu Eu Interior , pleno de conscientização e entrega, deixando um legado ao mundo... Esta sua experiência foi o momento crucial de confirmação de que o estado mental da pessoa está diretamente relacionado, como causa principal, à doença que afeta o corpo.

Na Medicina Chinesa, a característica emocional associada ao elemento Água é o medo. Medo é o obstáculo que bloqueia a expressão de nosso eu verdadeiro. A Água está relacionada ao Chih, a força física que nos guia através dos obstáculos do crescimento. Lao Tse, filósofo e alquimista chinês do século IV a.C ., disse: “Abaixo do céu, nada é mais maleável e submisso do que a água. Todavia, para altacar o sólido e o forte, nada é melhor. Nada se lhe compara.” Arquetipicamente é o símbolo do subconsciente.

A vida ativa traz consigo responsabilidades, aceitar responsabilidade é o mesmo que abandonarmos todas as nossas projeções, memórias armazenadas em nossa mente subconsciente... Sejamos gratos por este momento de nossa experiência humana  e façamos a escolha pela LIBERDADE, a Real Liberdade de sermos realmente quem somos!

Florais são gotas de puro amor, expõem o subconsciente e fortalece a consciência para que possamos ir em direção de um desabrochar que é só nosso. Atuam em sua dinâmica amorosa com rapidez, com freqüência, entretanto, o trabalho com as essências é um processo de desvelar muitas camadas, especialmente se o problema é antigo... Usar as essências é um processo de auto descobrimento e auto cura. Elas não somente proporcionam uma estrutura que nos permite juntar todos os nossos aspectos, como também nos ajudam a sintonizar o sistema de energia maior, o TODO, nos ajudando a fluir com força e sabedoria interiores.

Cuide Bem de Você!

www.cuidebemdevoce.com