Metamorfose

Gotinhas Que Curam

Postado por Lena Rodriguez em terça, janeiro 26, 2010 Em: Florais On Line

Educadora Dulce Caetano fala do projeto experimental desenvolvido em escolas públicas, denominado "Gotinhas Que Curam", usando as essências florais no ensino.


“Foi gratificante, ver os educandos vencendo suas dificuldades no processo de ensino através dos florais”


O pedagogo Douglas Marcelo realizou uma entrevista com Dulce Caetano, de Belo Horizonte, que tem trabalhos holísticos desenvolvidos em Itaúna. Ela é uma educadora com formação em Estudos Sociais e também em História, com Pós-Graduação em metodologia de ensino e com muita experiência na área de educação (15 anos). Dulce, pioneiramente desenvolveu um trabalho pedagógico educativo em Minas Gerais. Foi em 2003, na cidade de Betim. Apoiada pela Secretaria Municipal de Educação de Betim, ela desenvolveu o projeto: “Gotinhas Que Curam”. Em várias escolas o projeto foi divulgado e cerca de 20 alunos, participaram durante 7 meses do projeto, que consistia em utilizar os florais como ferramenta para melhora no desempenho escolar do aluno.

 

JORNAL BREXÓ - Dulce, como foi esta sua experiência pioneira de associar as essências florais ao ensino (escola)?

Dulce - Em 2003 eu tinha experiência tanto na área educativa como na terapia floral e percebi que os florais atuavam com um resultado muito eficaz nas desordens psicológicas e emocionais que dificultavam o processo ensino-aprendizagem. A partir desta percepção resolvi criar o Projeto Gotinhas Que Curam em parceria com Secretaria de Educação de Betim (MG). Foi um trabalho voluntário no qual tive apoio da sintonizadora Neide Margonari dos Florais de Saint Germain, que doou um kit para o trabalho com as crianças, foi uma experiência gratificante, ver os educandos vencendo suas dificuldades no processo de ensino através dos florais, mas existe ainda muita resistência do sistema escolar sobre o uso das terapias complementares.


JORNAL BREXÓ – Como eram utilizados e manipulados os florais entre os estudantes?

Dulce - Os florais eram usados conforme um diagnóstico feito com os educandos que era identificado a desordem emocional ou psicológica que afetava a aprendizagem, e a partir desta entrevista com o educando e algum responsável presente, era prescrito um floral que deveria ser tomado 4 vezes ao dia por um período de 6 meses.


JORNAL BREXÓ – Você acha que a escola tem intenção de se abrir para utilizar as terapias naturais como aliadas na conquista de um melhor desempenho educativo do aluno?

Dulce - Existe muita resistência do sistema escolar em receber alternativas para sanar as dificuldades no processo ensino aprendizagem, os florais são uma ótima ferramenta psicopedagógica, que auxilia os educandos na superação de processos emocionais arraigados desde a mais tenra idade, muitos alunos, pedagogos e mesmos pais que usaram ficaram satisfeitos com o resultados, mas não tive incentivo de dar continuidade ao Projeto.


JORNAL BREXÓ - De 0 a 10, qual a nota avaliativa você dá para o projeto “Gotinhas Que Curam” e por que?

Dulce - No meu entendimento posso dar uma nota 8, pois os resultados foram muito benéficos, mas como existiu muita resistência por parte da comunidade escolar, o Projeto não pode avançar como eu gostaria, mas fiquei muito feliz de poder ter construído esta experiência única.


JORNAL BREXÓ – Suas considerações finais

Dulce - “Trata o paciente, não trates a doença”, é o princípio básico do método das essências florais, então precisamos olhar para o educando de uma forma holística, percebendo-o em todos os níveis: emocional-mental e espiritual, só assim poderemos auxiliar de forma eficaz as dificuldades apresentadas no curso educativo da sua vida.


Fonte: JORNAL BREXÓ

ITAÚNA-MG, sábado, 23 de janeiro de 2010

*********

Lena Rodriguez

Educadora Floral

www.cuidebemdevoce.com

Em: Florais On Line 


Tags: florais on line  cura  medicação vibracional   

Blog


"Dentro das linhas que o mantém prisioneiro estão apenas suas ideias e crenças. Fora dessas linhas estão suas novas ideias." LIBERTE-SE !!! Dra. Hulda

Traduzir Esta Página

A Terapeuta


Lena Rodriguez Acredito em tratamentos não agressivos e que vá na - causa - do problema que se apresenta, que por prática e vivência aprendi a perceber,que só se dá em nossa mente... O que nos faz cem por cento responsáveis por TODOS e TUDO a nossa volta, em nosso mundo. Acredito também, em terapias que estejam aliadas a processos de despertar, para que possamos sair desse circulo vicioso que infringimos a nós mesmos e cessarmos com a auto crucificação... A auto aceitação é imprescindível, assim como ser muito gentil consigo mesmo. Aceitar-se, não quer dizer resignarmos, mas sim que, podemos não estar satisfeitos na vida, por uma razão ou outra, não importa... Porém, temos escolhas... A partir do auto cuidado, tive por ideal de vida ser um elo de auxílio para que outros pudessem sentir o mesmo bem estar físico, mental, emocional e espiritual... Resumindo; um estar de bem com a vida = paz interior. Paz que conseguimos ao libertar nossa mente de programas e registros subconscientes. Sou grata à existência, a tudo que pude ter acesso para desvelar o EU que Realmente Sou... Gratidão, igualmente a todos que confiaram e confiam em meu trabalho nesses mais de 20 anos. Bençãos a todos!

Tags

 

 

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

 Coloque abaixo o assunto = palavra-chave

 

 

PSICOTRÓPICOS - O MARKETING DA LOUCURA   (Vídeos) aqui: http://terapiafloralon-line.blogspot.com.br/2013/04/psicotropicos-psiquiatria-o-marketing.html

A Comissão dos Cidadãos para os Direitos Humanos (CCHR) é um serviço de vigilância da saúde mental sem fins lucrativos, responsável por ajudar a aprovar mais de 150 leis que protegem os indivíduos de práticas abusivas ou coercivas. A CCHR há muito tempo que luta para restabelecer a base inalienável dos direitos humanos no campo da saúde mental, incluindo mas não se limita a, consentimento informado pleno sobre a plena legitimidade médica do diagnóstico psiquiátrico, os riscos de tratamentos psiquiátricos, o direito a todas as alternativas médicas disponíveis e o direito a recusar qualquer tratamento considerado prejudicial...   http://www.cchr.pt/

 

Postagens recentes

 



Crie um site gratuito com o Yola