Para cada homem afetado, nove mulheres são portadoras dessa doença auto imune, que pode comprometer qualquer parte do seu organismo.

O que os cantores Seal e Lady Gaga têm em comum? Além do sucesso, os dois são exemplos de pessoas que sofrem com o lúpus, uma doença autoimune que pode ocasionar danos a diversas partes do corpo. Assim como ocorre em outras doenças autoimunes, o sistema imunológico ataca as próprias células e tecidos do corpo, resultando em inflamação e dano dos tecidos. Lúpus é uma doença grave, especialmente se houver lesão renal e lesão cerebral decorrente de infecções. Os casos de lúpus costumam ser tratados com corticoides em pequenas ou grandes doses (pulso terapêutico) ou através de um método conhecido como plasmaferese (indicado nos casos em que há lesão renal mais abrangente), que retira grande quantidade de plasma para a eliminação dos complexos imunes circulantes.

Tipos da doença e tratamentos

Existem três tipos de lúpus. O lúpus discoide provoca inflamações na pele da nuca e da face e também do couro cabeludo. Já o lúpus sistêmico (que também acomete 10% das pessoas que têm lúpus discoide) afeta quase todos os órgãos ou sistemas do corpo – alguns pacientes desenvolvem lesões na pele e nas articulações, e outros sofrem de problemas dos rins, coração, pulmões e sangue. E o lúpus eritematoso ocorre como consequência do uso de certas drogas ou medicamentos – inclusive os medicamentos indicados para o tratamento da doença, que podem provocar um estado de “lúpus induzido” (por isso é preciso ter certeza absoluta do diagnóstico antes de iniciar tratamento com corticosteroides, antimaláricos, como reuquinol, e anti-inflamatórios em geral). Independentemente do tipo de lúpus, o paciente alterna, de modo geral, períodos críticos e períodos de relativa melhora ou mesmo de inatividade.

O principal sintoma da doença é a fadiga.

A maioria das pessoas apresenta febre contínua ou intermitente, perda de peso e mal-estar. O diagnóstico, entretanto, é complexo, pois envolve exames laboratoriais e a análise de 11 critérios – se você se enquadrar em pelo menos quatro deles, provavelmente sofre de lúpus. São eles: vermelhidão no nariz e na face, geralmente em forma de "asa de borboleta"; sensibilidade à luz; lesões discoides cutâneas; úlceras orais e/ou nasofaríngeas; artrite não-erosiva de duas ou mais articulações periféricas, com dor, edema ou efusão; alterações hematológicas; anormalidades imunológicas; fator antinuclear positivo; serosite; alterações neurológicas: convulsões ou psicose sem causa aparente e anormalidades das funções renais.

Lúpus é uma doença grave, especialmente se houver lesões renais e cerebrais decorrentes de infecções.

Fonte > Pró Teste

*****

“O Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é um exemplo de doença inflamatória, auto-imune, que pode atingir múltiplas partes do corpo, principalmente a pele, as juntas, o sangue e os rins, e pode causar sérios problemas ao longo da vida. O sistema imunológico produz anticorpos para proteger o organismo de antígenos (corpos estranhos). Havendo uma desorganização imunológica, o sistema defensivo deixa de distinguir entre os antígenos e as células e tecidos do próprio corpo, direcionando anticorpos contra si mesmo, os quais reagem formando complexos imunológicos que crescem nos tecidos e podem causar inflamação, lesões e dores.” (Zerbini & Fidelix, 1989).

Na linguagem corporal Lúpus tem como causa provável em um nível emocional, que poderá ser até subconscientemente, a desistência; melhor morrer do que suportar a si mesmo; raiva e desejo de punição...

Só conseguiremos a cura autêntica, na medida em que mudarmos nossa perspectiva.

Lena Rodriguez

Cuide Bem de Você!

WWW.CUIDEBEMDEVOCE.COM