A obesidade manifesta-se como um impulso descontrolado de comer.

Por uma série de razões, o indivíduo obeso tem dificuldade em determinar seu ponto de saciedade ou seja, ter consciência física que já se alimentou o suficiente.

A pessoa tende a ultrapassar este ponto na tentativa de preencher um vazio, uma necessidade interna que muitas vezes desconhece.

O obeso quando criança talvez tenha recebido pouco afeto, carinho ou proteção de seus pais. Lares pobres e carentes de amor criam um buraco imenso na alma da criança. Assim a criança, quando adulta, tenta buscar fora de si aquilo que não obteve de seus pais e neste sentido, os alimentos atuam compensando essas carências. Então, o alimento, passa a ter o significado de amor. Quanto mais comida melhor e maior é a satisfação, porém o vazio permanece.

Outras crianças nascem em lares onde os pais tentam compensar aquilo que não tiveram quando pequenos. Estes pais acabam por proteger em excesso as crianças e a satisfazer todas as suas necessidades na tentativa de diminuir suas próprias carências e frustrações. A criança percebe então que não está sendo amada verdadeiramente pelo o que ela representa e, na maioria das vezes, acaba aceitando este jogo passivamente. Isto faz com que muitas destas crianças busquem no alimento uma saída para suas dificuldades emocionais.

Pais ansiosos tendem a gerar filhos ansiosos e estes, muitas vezes, descarregam nos alimentos suas ansiedades. Há indicações que a captação de glicose pelos tecidos é acelerada nos períodos de ansiedade. A partir disso se observa que as emoções influenciam diretamente nos hábitos alimentares, quer seja a pessoa obesa ou não.

A partir do momento em que a pessoa se dispõe a fazer um trabalho de reeducação de seus hábitos e comportamentos frente a sua vida, é necessário averiguar o quanto ela está comprometida com o tratamento ou seja, se realmente está disposta a fazer mudanças em seu estilo de viver.

Com a terapia o paciente é auxiliado a descobrir suas carências, o que faltou e o que gostaria de ter afetivamente. Ele aprende a conviver melhor com seus momentos de ansiedade, passando a ter mais controle frente ao impulso de comer.

Os florais auxiliam no processo de busca interna, ajudando no resgate da auto-estima que tanto falta nos indivíduos obesos. Eles vão se conscientizando sobre outras formas de procurar amor, satisfação e afeto, aprendendo a se valorizar e a gostar mais de si. A terapia floral tem como objetivo buscar o reequilibro dessas emoções.

Trabalhar a auto-estima é o principal ponto no processo terapêutico do obeso. Pessoas obesas normalmente não se aceitam do jeito que são e a gordura, muitas vezes, é usada como camuflagem para se proteger de qualquer aproximação a nível de relacionamentos.

Fazer com que as pessoas mudem seus padrões e hábitos alimentares é uma tarefa muito difícil e, neste sentido as essências florais trabalham na construção de um novo modelo de vida, deixando as velhas estruturas para trás. Assim, deve-se trabalhar os medos escondidos, tais como entrega, sexualidade, rejeição, abandono, raiva e outros.

Toda busca deve ser interna e o processo terapêutico acompanhado dos florais irá ajudar na construção deste caminho. Fonte 

______

REEDUCAÇÃO MENTE & CORPO

EMAGRECIMENTO - LIMPEZA - DESINTOXICAÇÃO - NUTRIÇÃO  REJUVENESCIMENTO

Veja mais aqui: http://www.cuidebemdevoce.com/cheiro-de-mato-t.php