por Luciana Vieira

 

Os animais, assim como o homem, sentem as sensações e as emoções e as faculdades variadas como o amor, a memória, a atenção, a curiosidade, a imitação, a razão, etc. Muitas vezes até numa forma mais desenvolvida do que o homem. Alguns mamíferos são dotados de emoções mais complexas como a vergonha, a contrariedade, o desejo de vingança e até senso de humor.

Essas foram algumas das informações apresentadas pelo notável cientista Charles Darwin (1808-1882), autor da teoria da evolução das espécies através seleção natural. Uma teoria bastante avançada para sua época, já no século XIX acreditava-se que sentimentos e até mesmo a dor era sentida apenas por seres humanos.

Dificilmente uma pessoa que convive com animais duvida da capacidade deles de demonstrarem sentimentos. Do mesmo jeito que convivendo com eles são poucas as pessoas que duvidam que eles tenham personalidade e temperamento definido.

Sendo assim, o tratamento em animais com florais é muito bem vindo, diminuindo muitas vezes a necessidade de constantes visitas ao veterinário, quando o problema ainda não chegou no campo físico. Caso os efeitos já estejam se mostrando em forma de doença, a visita ao veterinário é fundamental pra que seja tratado o efeito, e os florais farão a parte deles, tratando a causa.

Edward Bach (1886-1936), o pioneiro no desenvolvimento de um sistema terapêutico com florais, concluiu em suas pesquisas que os estados mentais positivos e saudáveis poderiam ser restituídos pelas energias encontradas nas plantas.

A terapia com os florais, como terapia vibracional que é, está ganhando cada vez mais espaço na medicina veterinária (e aqui não há que se falar em efeito placebo). Os animais respondem efetiva e rapidamente ao tratamento com os florais e eles podem ser administrados em cães, gatos, ferrets, cavalos, abelhas, aves, peixes, animais silvestres, animais selvagens, enfim, para qualquer um.

As essências funcionam para tratar comportamentos, desequilíbrios mentais, emocionais como traumas, perda do dono, animais assustados, para adaptação em uma nova residência e outros. Além disso, é um coadjuvante valioso para complementar o tratamento do veterinário em diversas patologias.

Fonte 

*********

Lena Rodriguez

www.cuidebemdevoce.com