Os problemas de pele são um sinal das nossas dificuldades de vivência em relação ao mundo exterior. Eczema, psoríase, dartro, micose, Vitiligo, pústula - são muitas as nossas manifestações diante das agressões, reais ou não que sentimos vindo do exterior. Elas permitem que possamos 'justificar’ a dificuldade de contato com esse mundo e, ao mesmo tempo, ajudam na eliminação da tensão sentida. Esses males são tão significativos que se localizam sempre em lugares muito reveladores, atrevo-me a dizer.

Vários exemplos me vêm em mente.

O primeiro dentre eles é pessoal. Há alguns meses. tinha ido ao interior visitar os meus pais e rodava por uma estrada que conheço bem. Na entrada de um lugarejo, fui incomodado por um veículo que saía na minha frente. faltando com o respeito às regras do código de trânsito e da estrada.

Obrigado a frear bruscamente e, naturalmente. descontente com o comportamento alheio, pisquei os faróis para o motorista. Tudo o que consegui foi desagradá-lo e ele achou melhor diminuir a marcha a Fim de provar que era "mais forte". Arrependido da minha reação, que foi inútil de qualquer maneira, resolvi esquecer o assunto. Porém, algumas centenas de metros adiante. como tinha um carro relativamente possante, me aproveitei de um trecho com quatro pistas para ultrapassar rapidamente o outro motorista. No entanto, este acelerou para impedir a minha ultrapassagem.

Como o meu carro era mais possante, consegui ultrapassá-lo apesar de tudo, porém a custa de uma aceleração muito superior à prevista e, exatamente no Fim da pista direita, havia um radar. Logo, fui parado e advertido por excesso de velocidade. É claro que isso provocou uma sensação muito forte de agressão em relação ao mundo exterior e mesmo de injustiça. A partir do dia seguinte. uma placa de herpes se formou no meu peito e em particular sobre o esterno, entre o plexo solar (emoções brutas. agressões, medos) e o plexo cardíaco (emoções elaboradas, amor pelo outro e por si, altruísmo etc.).

Enquanto não fiz as pazes comigo mesmo, essas placas não pararam de coçar. O meu amigo homeopata, a quem eu havia confiado a história, ajudou-me a fazê-las desaparecer mais rapidamente drenando os meus intestinos, pois eu tinha dificuldade para "romper", para evacuar o acontecimento (intestino grosso) mas também para assimilar (intestino delgado).

O segundo exemplo no qual pensei é ainda mais impressionante.

Uma das minhas alunas de Prática Taoísta, que se chama Christine, sofria de um problema de psoríase desde maio de 1988. Apesar dos tratamentos que fazia todo ano em Israel (Mar Morto), ela voltava sistematicamente e parecia estar cada vez mais forte. Essa jovem, fina e elegante, sofria muito com essa situação que a levava a se esconder cada vez mais dela mesma, pois o seu corpo era cada vez mais atingido. A psoríase é uma descamação da pele que se apresenta sob forma de placas avermelhadas que têm a particularidade de aparecer, na maior parte do tempo, nas articulações, cotovelos e joelhos.

Podemos ver aí que a tensão vivida está associada a uma dificuldade para ceder, para aceitar o que está acontecendo. Como a pele é o primeiro órgão caracterizado pela troca, parece que as trocas que temos com o mundo exterior nos desagradam. Após algumas sessões de trabalho com as energias, Christine viu a sua psoríase diminuir e depois desaparecer completamente no mês de maio de 1990 (que coincidência que tenha sido novamente em maio...), Ela nunca mais a teve depois disso.

(Trecho do livro: Diga-me onde dói, que te direi porque-Michael Oduol)

Terapia floral cuida de forma amorosa, dentre tantos outros, dos males da pele... Nosso corpo físico apenas externaliza o que não vai bem em nossa mente, que tenhamos consciência do que se passa internamente ou não.

Cuide bem de você... www.cuidebemdevoce.com