O texto abaixo me fez lembrar algo que aprendi há alguns anos atrás de certa tradição espiritual.

A raiva, ciúme, inveja, derivam de uma única emoção – MEDO, que por consequência vem da crença na SEPARATIVIDADE (eu versus EU). Tudo se trata de uma única energia e é NEUTRA em si mesma, apenas um programa criado por nós mesmos e que PODE ser desfeito ainda por nós mesmos, uma parte de nós imune a esses registros, nossa mente Supra consciente.

Tais emoções que se apresentam, são grandes oportunidades de despertarmos desse sonho, que um dia nos “permitimos”, em nossa inconsciência, acreditar... Parece-nos estranho quando falamos de oportunidades, porém quando começamos a compreender o funcionamento de dos vários elementos de que somos compostos, tornamo-nos mais e mais conscientes.

Quando procuramos ver esses momentos como nossas próprias projeções, ou seja, mecanismo dos programas subconscientes pelo qual atribuímos ao outro nossos próprios sentimentos e motivações e presentemente enviamos perdão e amor a esses sentimentos, ao invés de nos sentirmos vítimas, tudo é transformado na única realidade que somos – AMOR!

Sei que não é fácil, porém há que treinarmos diligentemente... Temos ajuda para que possamos reverter essas emoções de equívocos. As essências florais são gotas de puro amor que vibram em uníssono com nossa Real Natureza, portanto, cuide bem de você!

Lena Rodriguez

O único problema com a tristeza, com o desespero, com a raiva, com a falta de esperança, com a ansiedade, com a angústia, com a infelicidade, é que você quer se livrar dessas emoções. Essa é a única barreira.

Você terá de conviver com elas. Não pode fugir, simplesmente.

Elas são situações nas quais sua vida tem de se integrar e crescer. São desafios da vida. Aceite-as. Elas são bênçãos disfarçadas. Se você fugir delas, se quiser se livrar delas de algum jeito, você criará problema – pois, quando quer fugir delas, você não olha para elas diretamente.

Uma estrela da Broadway estava visitando alguns amigos quando, como de costume, a conversa começou a girar em torno da psiquiatria. “Devo dizer”, disse a anfitriã, “que o meu analista é o melhor que existe! Você não pode imaginar o que ele fez por mim. Você tem de aceita-lo”.

“Mas eu não preciso de analista”, disse a estrela. “Eu não poderia ser mais normal – não há nada de errado comigo”. “Mas é simplesmente fabuloso”, insistiu a amiga, “ele encontrará alguma coisa errada em você”.

Existem pessoas que sempre encontrarão alguma coisa errada em você. O segredo da profissão delas é descobrir o que há de errado em você. Elas não podem aceita-lo como você é; elas dão a você ideais, ideias, ideologias, e farão com que se sinta culpado, uma pessoa imprestável, sórdida.

Elas farão com que você se sinta tão condenável, aos seus próprios olhos, que você esquecerá tudo sobre liberdade.

Na verdade, você passará a ter medo da liberdade, pois verá o quanto você era ruim, o quanto estava errado – e, se for livre, você acabará fazendo alguma coisa errada, então é melhor seguir alguém. O padre depende disso, o político também. Eles mostram a você o certo e o errado, ideias fixas, e então você passa a viver com culpa para sempre.

Eu digo a você: não existe nada que seja certo e nada que seja errado.

Se você está com raiva, o padre lhe dirá que isso não está certo, você não pode ficar com raiva. O que você faz, então? Você pode reprimir a raiva, sentar-se sobre ela, engoli-la, literalmente, mas ela continuará em você, no seu organismo.

Engula a raiva e você terá úlceras no estômago; engula a raiva e, mais cedo ou mais tarde, você terá câncer. Engula a raiva e você criará um milhão de problemas, porque a raiva é venenosa. Mas o que você faz? Se está errado, você engole.

Eu não digo que a raiva seja errada, eu digo que a raiva é energia – energia pura, uma bela energia. Quando ela irromper, preste atenção e veja um milagre acontecendo. Quando ela irromper, preste atenção e, se fizer isso, ficará surpreso; você terá uma surpresa – a maior da sua vida: descobrirá que, se prestar atenção nela, ela desaparece.

A raiva é transformada. Ela vira energia pura; vira compaixão, vira perdão, vira amor. E você não precisa reprimi-la, por isso não terá de levar consigo esse veneno. E você não ficará com raiva, por isso não ofenderá ninguém.

Ambos são salvos: o outro, o objeto da sua raiva, e você mesmo. No passado, ou o objeto da raiva estaria sofrendo ou então você.

O que eu estou dizendo é que não é preciso que ninguém sofra. Basta que você preste atenção, fique consciente. A raiva surgirá e será consumida pela consciência. A pessoa não pode ter raiva se está consciente, não pode ter ganância se está consciente e não pode ter inveja se está consciente.

A consciência é a chave de ouro.

“Emoções: Liberte-se da Raiva, do Ciúme, da Inveja e do Medo”.

Não veio com autoria, sendo assim, o autor se apresentando eu colocarei seus direitos autorais.

CUIDE BEM DE VOCE

www.cuidebemdevoce.com