A psicoterapia é a única forma de terapia que existe. Já  que só a mente pode estar doente, só a mente pode ser curada. Esse não parece ser o caso, pois as manifestações desse mundo, de fato, parecem ser reais. A psicoterapia é necessária de modo que o individuo possa começar a questionar a realidade disso. Algumas vezes ele é capaz de começar a abrir a sua mente sem ajuda formal, mas, mesmo nesse caso, o que lhe permite fazer isso é algo que muda na sua percepção dos relacionamentos inter-pessoais. Algumas vezes ele precisa de um relacionamento mais extenso e estruturado com um terapeuta ‘oficial’. Seja como for, a tarefa é a mesma: é preciso ajudar o paciente a mudar a sua mente sobre a ‘realidade’ das ilusões.  


Propósito da Psicoterapia

 
Dito muito simplesmente, o propósito da psicoterapia é remover os bloqueios à verdade. O seu objetivo é ajudar o paciente a abandonar o seu sistema fixo de delusões e começar a reconsiderar as relações falsas de causa e efeito nas quais ele se baseia. Ninguém neste mundo escapa do medo, mas todos podem reconsiderar as suas causas e aprender a avaliá-las corretamente. 
Deus deu a todos um Professor cuja sabedoria e ajuda em muito excedem quaisquer contribuições que um terapeuta terreno possa oferecer. No entanto, existem momentos e situações nos quais um relacionamento terreno entre paciente e terapeuta pode vir a ser o meio através do qual Ele oferece as Suas maiores dádivas aos dois. 
 
Que melhor propósito qualquer relacionamento poderia ter do que convidar o Espírito Santo a participar dele dando-lhe a grande dádiva da alegria? Que meta mais elevada qualquer um poderia ter do que aprender a invocar a Deus e ouvir a Sua Resposta? E que objetivo mais transcendente pode haver do que revocar o Caminho, a Verdade e a Vida e lembrar-se de Deus?  
Ajudar nisso é o propósito adequado da psicoterapia. Que outra coisa poderia ser mais santa? Pois a psicoterapia, propriamente compreendida, ensina o perdão e ajuda o paciente a reconhecê-lo e aceitá-lo. E, na sua cura, o terapeuta é perdoado junto com ele.

A psicoterapia, portanto, tem que restaurar na sua consciência a capacidade de tomar suas próprias decisões. Ele tem que estar disposto a reverter o seu modo de pensar e a compreender que o que ele pensava que projetava os seus efeitos sobre ele era constituído das suas projeções sobre o mundo. O mundo que ele vê, portanto, não existe. Até que isso seja finalmente aceito, pelo menos em parte, o paciente não pode ver a si mesmo como realmente capaz de tomar decisões. E ele lutará contra a sua liberdade porque pensa que é a escravidão. 
 
O paciente não precisa pensar na verdade como um Deus para fazer progressos no caminho da salvação. Mas ele precisa começar a separar a verdade das ilusões, reconhecendo que não são a mesma coisa e passando a estar cada vez mais disposto a ver ilusões como falsas e aceitar a verdade como verdadeira. O seu Professor o levará adiante a partir daí, tanto quanto ele estiver pronto para seguir. A psicoterapia só pode economizar tempo. O Espírito Santo usa o tempo como Ele acha melhor, e nunca está errado.  
A psicoterapia sob a sua orientação é um dos meios que Ele usa para economizar tempo e preparar mais professores para o Seu trabalho. Não há fim para a ajuda que Ele começa e dirige. Seja qual for a estrada que Ele escolha, toda psicoterapia conduz a Deus no final. Mas isso está a Seu cargo. 
 
Nós todos somos Seus psicoterapeutas, pois Ele quer que todos nós sejamos curados n’Ele.  

Fonte

*********

Lena Rodriguez

www.cuidebemdevoce.com