Por ocasião da Conferência Internacional de Essências Florais e Terapia Floral na Argentina em Outubro de 1993, Patricia Kaminsky e Richard Katz enviaram esta mensagem memorável, que transcrevemos para que continue servindo de inspiração para todos os Terapeutas e estudiosos dos Florais.

Começamos com as próprias palavras

“Terapia com Essências Florais”

A palavra terapia é derivada da palavra grega Therapéia ( τεραπεια ).

Para os gregos iniciados na medicina Therapéia não era simplesmente um conceito abstrato, mas sim um ser vivo. Ela era a mulher de Asklépios, o grande deus da cura o qual trouxe a vida às substâncias da Terra para que elas pudessem atuar de maneira curativa dentro do ser humano. Através do carinhoso sábio, e amoroso toque de Therapéia, os remédios eram preparados.

Era dada a alma às substâncias, e elas, então, se tornavam mestres e curadores para os desequilíbrios humanos.

Se cada um de nós deseja trazer os remédios das flores à vida, é preciso que o sentimento de Therapéia esteja vivo dentro de nós. Assim como os gregos, nós precisamos vir a  entender que cada momento da cura é realmente um grande mistério no qual os próprios deuses são chamados a participar.

Como é que cada um de nós, como terapeuta pode estar alinhado de uma maneira maior à própria Therapéia?

É possível que possamos chegar a perceber o nosso trabalho como um ser vivo, que serve aos propósitos maiores do mundo espiritual?

De maneira mais importante, temos que enxergar que Therapéia tem em suas mãos as flores. É através do mundo das plantas que ela fala para nós. Para encontrar a plenitude interior, nós precisamos aprender a enxergar as plantas na sua totalidade e, é a essência da planta inteira revelada na flor, que tem a capacidade de curar tão intensamente.

O poeta alemão Goethe nos clamava à sermos capazes de perceber as partes da planta na sua relação inteira com o todo. Ele chamava o grande ser da planta de Urtslams, planta arquetípica, que era o modelo  espiritual do qual toda a vida das plantas se originava. Se nós pudermos aprender a perceber a planta na sua  majestade viva e pudermos entendê-la mais completamente na sua beleza e na sua força,  estaremos compreendendo a Terapéia das flores.

Na base da planta encontra-se o sistema de raízes. Ele é invisível para nossa vista e vive nos recessos cristalinos da Terra. As raízes puxam a nutrição que vem do solo para sustentar o crescimento das plantas. Então, em todo o período no qual a planta se expande para cima e para fora, em direção à luz do Sol o sistema de raízes também necessita ter um crescimento correspondente, mais amplo e mais profundo, lá no fundo da Terra. Em segundo lugar a planta também tem galhos e folhas, que são os aspectos da planta mais aparentes à nossa vista. É essa parte verde que cresce na planta que vai construindo a vida. A planta recebe a luz do Sol e à transforma na clorofila verde, na energia da vida.

Assim como nós respeitamos a planta que abraça a Terra nós somos capazes de olhar para a dança alegre da vida sempre se multiplicando e crescendo em plenitude e abundância. Aí, então, nós iremos abordar o mistério na planta, uma experiência de transformação.

Existe um ponto no qual a planta interrompe o seu crescimento externo e alguma coisa que estava guarda da num nível muito secreto, de repente, explode e aparece: a flor. Se nós formos sensíveis perceberíamos que a planta fez um sacrifício. Aquilo que estava crescendo como força vital foi metamorfoseado em alguma coisa de beleza sutil. A planta recebeu um presente do mundo espiritual. No seu momento transcendente e volátil, que vai além daquilo que é comum e ordinário, ela explodiu em cor e em aroma e é por um momento breve, porém precioso, que um anjo que vem de um está nos falando através da planta.

A beleza transparente da flor emana de um sacrifício da vida da folha que deixou de lado a sua imagem terrena para fazer um caminho na direção do espírito para que ele possa trilhar através dela. É um processo de morrer e renascer que faz dar a luz à alguma coisa mais elevada.

Agora, num outro estágio de desenvolvimento da planta que está se iniciando, o fruto se oferece como um serviço para sustentar uma nova vida. Depois que a flor vai se esvanecendo a planta começa a inchar de novo. Agora  ela não mais está celebrando o presente, mas está construindo para o futuro.

A fruta doce e madura é um presente que toda a vida das plantas nos dá,  nutrindo os seres humanos, os pássaros e os outros animais doando a sua substância para a grande roda emergente da vida.

Finalmente, escondida dentro da fruta está a semente, o ponto culminante da jornada da planta. O momento de completude de um círculo, que carrega em si a cristalização da vida da planta. A semente é a concentração mais diminuta de matéria viva, porém ela contém em si planos infinitos de luz. Ela é puro potencial. A promessa que somente poderá ser cumprida quando a semente encontrar o seu caminho,  de novo,  ao polo fértil da Terra, aí a espiral da vida começa outra vez.

Se nós pudermos conter dentro de nós essa ideia da planta em totalidade como ser vivo, nós estaremos dando um outro passo em nossa imaginação para sermos capazes de enxergar a Terapéia das flores.

Ela também tem uma raiz, tem folhas, caule, flor, fruto e semente, porque ela é a essência de cura da natureza trabalhando através do plano mágico do mundo das plantas. Ela expressa diferentes partes dela mesma, mas todas elas são necessárias para a totalidade. A sua totalidade, ou presença viva, pode ser percebida somente até o grau em que nós estivermos determinados à honrar todos os aspectos do seu ser. Essa é a grande tarefa que nos desafia como terapeutas florais.

Fonte

_________________

CUIDE BEM DE VOCÊ

www.cuidebemdevoce.com