Metamorfose

TERAPIA FLORAL E TEMPOS MODERNOS

Postado por Lena Rodriguez em quarta, junho 22, 2011 Em: florais de bach

Vou tentar, neste breve artigo, refletir com você, caro leitor, sobre o uso das Essências Florais nos dias de hoje. Vivemos na atualidade, principalmente nos grandes centros urbanos um clima surrealista e caótico onde o trânsito, a poluição, os diversos tipos de violência e a extrema competitividade levam-nos a um grau intenso de estresse e ansiedade.

Neste cenário somos bombardeados por um materialismo globalizado que nos induz, sutil e continuamente a um consumismo desenfreado que inevitavelmente, nos deixa uma sensação de impotência e frustração. Ao lado desses fatores ansiogênicos, as indústrias farmacêuticas elevam seus lucros anuais a cifras estratosféricas. Milhões de dólares são faturados com a venda de remédios para a ansiedade, depressão, síndrome do pânico e tantas outras mazelas psíquicas que atormentam o “homo tecnogious” de nossos dias.

Afastamo-nos dos ritmos da natureza e nos tornamos escravos do tempo gerador de produção e consumo. Até o lazer, teoricamente um período de descanso e refazimento, é empregado pela indústria do turismo de forma intencionalmente programada. O indivíduo compra um pacote pronto onde não tem opções e o segue robotizado, consumindo passeios e roteiros pasteurizados e acreditando que é feliz!

Nesse contexto é de se esperar que uma parcela da população com capacidade questionadora, passe a criticar o “status quo” e, especificamente no tema que estamos tratando – a saúde – acabe procurando alternativas e encontre terapias mais naturais e menos invasivas.

A Terapia Floral nos tempos modernos surgiu com Edward Bach (1886-1936) na Inglaterra e se espalhou pelo mundo todo com o aparecimento de diversos outros sistemas desenvolvidos por estudiosos e sensitivos. A espiritualidade em sua infinita sabedoria traz para esse momento evolutivo da humanidade não só as Essências Florais, como também uma série de ensinamentos e terapias voltadas à reconexão com nosso EU interno e ao autoconhecimento. É tempo de despertar para o verdadeiro sentido da vida e para o real significado de nossa passagem por esta morada cósmica que nos abriga há tantos milênios.

Precisamos atentar para um ponto muito importante: as Essências Florais não são medicamentos para o corpo físico (embora, por reflexo, possam trazer-lhe intensos benefícios) e não devem ser consumidas com a mesma intenção com que ingerimos uma aspirina para debelar uma dor de cabeça.

O verdadeiro e profundo sentido da cura na terapia floral é a reconexão do EGO (personalidade temporariamente encarnada) com o EU PROFUNDO (individualidade imortal à caminho da evolução).

Vale a pena aqui transcrevermos as palavras de Ian White em seu livro sobre as Essências Florais Australianas (Ed. Trion, 1998).

O poder das essências e os resultados obtidos são assombrosos. Elas agem como agentes catalisadores para ajudar a resolver uma grande gama de estados emocionais negativos e também para desenvolver nossas aptidões intuitivas. Sua forma de cura é manifestada pelo alinhamento dos corpos emocional, mental e espiritual. O que está por trás desta forma de cura baseia-se na eterna sabedoria de que assim que o equilíbrio emocional é restabelecido, ocorre a verdadeira cura. A maior parte das doenças físicas é o resultado final de um desequilíbrio emocional”.

É bastante natural que não queiramos sofrer e busquemos aliviar nossas dores de ordem física. Entretanto, devemos empreender com o auxílio da vontade esclarecida e consciente, nossos melhores esforços no sentido de alcançar uma cura mais profunda que busque os meandros da nossa essência, conduzindo-nos a planos superiores de evolução.

Nessa viagem cheia de surpresas e aventuras, as Essências Florais são estimadas companheiras a nos ajudar nos momentos de dificuldade e desequilíbrio.

Dr. Luiz Sérgio Gomes é médico psiquiatra, homeopata, terapeuta floral e autor do livro “Os Caminhos do Ser”.

_____

Cuide Bem De Você

Lena Rodriguez

WWW.CUIDEBEMDEVOCE.COM



Em: florais de bach 


Tags: essências florais  terapia floral on line  doenças físicas  desequilibrio emocional   

Blog


"Dentro das linhas que o mantém prisioneiro estão apenas suas ideias e crenças. Fora dessas linhas estão suas novas ideias." LIBERTE-SE !!! Dra. Hulda

Traduzir Esta Página

A Terapeuta


Lena Rodriguez Acredito em tratamentos não agressivos e que vá na - causa - do problema que se apresenta, que por prática e vivência aprendi a perceber,que só se dá em nossa mente... O que nos faz cem por cento responsáveis por TODOS e TUDO a nossa volta, em nosso mundo. Acredito também, em terapias que estejam aliadas a processos de despertar, para que possamos sair desse circulo vicioso que infringimos a nós mesmos e cessarmos com a auto crucificação... A auto aceitação é imprescindível, assim como ser muito gentil consigo mesmo. Aceitar-se, não quer dizer resignarmos, mas sim que, podemos não estar satisfeitos na vida, por uma razão ou outra, não importa... Porém, temos escolhas... A partir do auto cuidado, tive por ideal de vida ser um elo de auxílio para que outros pudessem sentir o mesmo bem estar físico, mental, emocional e espiritual... Resumindo; um estar de bem com a vida = paz interior. Paz que conseguimos ao libertar nossa mente de programas e registros subconscientes. Sou grata à existência, a tudo que pude ter acesso para desvelar o EU que Realmente Sou... Gratidão, igualmente a todos que confiaram e confiam em meu trabalho nesses mais de 20 anos. Bençãos a todos!

Tags

 

 

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

 Coloque abaixo o assunto = palavra-chave

 

 

PSICOTRÓPICOS - O MARKETING DA LOUCURA   (Vídeos) aqui: http://terapiafloralon-line.blogspot.com.br/2013/04/psicotropicos-psiquiatria-o-marketing.html

A Comissão dos Cidadãos para os Direitos Humanos (CCHR) é um serviço de vigilância da saúde mental sem fins lucrativos, responsável por ajudar a aprovar mais de 150 leis que protegem os indivíduos de práticas abusivas ou coercivas. A CCHR há muito tempo que luta para restabelecer a base inalienável dos direitos humanos no campo da saúde mental, incluindo mas não se limita a, consentimento informado pleno sobre a plena legitimidade médica do diagnóstico psiquiátrico, os riscos de tratamentos psiquiátricos, o direito a todas as alternativas médicas disponíveis e o direito a recusar qualquer tratamento considerado prejudicial...   http://www.cchr.pt/

 

Postagens recentes

 



Crie um site gratuito com o Yola