Rins

Os RINS na visão da Medicina Tradicional Chinesa

A  função  dos  rins  como  regulador do  metabolismo  da  água  na prática  da  Medicina Tradicional Chinesa se relaciona intimamente com sua função na visão da  medicina  ocidental, mas sua influência  tem  um alcance  muito  maior. Os  rins  são  o  local  de armazenamento  da essência  vital  (jing),  uma  substância  sutil responsável pelo crescimento, desenvolvimento, reprodução e fertilidade.

Os rins também são considerados, por filtrarem todos os líquidos corporais, a fonte de energia yin e yang para todos os outros órgãos. Assim, uma disfunção crônica nas funções renais pode potencialmente afetar qualquer outra parte do organismo.

Os rins são a fonte do qi prénatal, que é herdado dos pais e interpretado como a constituição inata de uma pessoa. Em última análise, a saúde e força dos rins é o fator determinante mais importante na vitalidade duradoura de uma pessoa e em sua longevidade. Os sintomas de desequilíbrio nos rins incluem dores lombares, infertilidade, impotência ou desejo sexual excessivo, problemas urinários, fragilidade de ossos e dentes, zumbido ou surdez, edema ou asma.

Uma boa analogia para entender este qi é que quando somos fecundados "ganhamos geneticamente" uma "poupança de vitalidade" para usarmos ao longo da vida. Se, ao longo da vida retiramos pouco desta "poupança", evitando excessos e desperdícios e, ainda depositamos diariamente a "essência vital" abundante na natureza, a saúde e longevidade serão o prêmio.

Mas, se a "esvaziamos" diariamente e, raramente repomos ou a enchemos, essa "poupança" vai se esgotando rapidamente e um desencarne doentio ou precoce pode ser esperado.

As funções tradicionais dos rins

A essência pré-natal é derivada do material genético dos pais, assim como de sua vitalidade, seu estilo de vida, hábitos e nutrição.

Ela é essencialmente a constituição herdada por uma pessoa no nascimento.

A essência pósnatal, por outro lado, está ao alcance do controle da pessoa porque ela deriva da alimentação e do ar. Uma pessoa com uma essência pré-natal fraca pode levar uma vida ativa e saudável através da manutenção de uma forte essência pósnatal.

Uma dieta e estilo de vida saudável, juntamente com exercício e práticas de respiração, como o qi gong, tai chi e yoga são os meios para conseguir uma essência pós-natal forte. De fato, uma pessoa com uma constituição fraca e um estilo de vida saudável está em melhor condição do que uma pessoa com uma forte constituição e um estilo de vida destrutivo.

Esse último, geralmente vive anos sem nenhuma doença e então, subitamente, sucumbe a um câncer ou doença cardíaca. Por outro lado, uma pessoa com essência pré-natal mais fraca, é incapaz de se livrar de um estilo de vida não saudável porque ela retrocede imediatamente na forma de doença ou fadiga. Os rins controlam o metabolismo da água. O equilíbrio do yin e do yang nos rins determina a eficiência do metabolismo da água no corpo.

Quando o yang do rim ou o qi do rim estão deficientes, urina em excesso ou edema (suor devido à retenção severa de fluído) podem ocorrer. Os rins retêm o qi.

Enquanto os pulmões são o principal órgão da respiração, os rins proporcionam a força de "retenção" necessária para a inalação total, a respiração plena. Portanto, quando o yang do rim ou o qi do rim está deficiente, uma pessoa pode ter dificuldade de inalação, como ocorre com as pessoas com asma.

De acordo com a fisiologia chinesa, os rins também são responsáveis pelo desenvolvimento de ossos e dentes fortes.

Quando os rins estão deficientes, os ossos se tornam mais quebradiços e a saúde dental deficitária (mais cáries e sensibilidades).

Os rins produzem medula e estão conectados ao cérebro. A medula tem uma função muito mais ampla na Medicina Tradicional Chinesa do que na medicina ocidental. Na medicina ocidental, ela está envolvida primariamente com os ossos e o crescimento das células sanguíneas. Na fisiologia chinesa, a medula é derivada diretamente da essência qi e é a fonte das células cerebrais.

Deficiências na essência vital ou na medula podem gerar casos de deficiência mental.

Os rins regem a audição, quando o meridiano dos rins (1 dos 12 canais de energia da Medicina Tradicional Chinesa) se abrem dentro do ouvido. Essa função tem grande significado clínico: as dificuldades de audição geralmente podem ser tratadas com a nutrição dos rins.

A capacidade auditiva dos bebês é tida como subdesenvolvida devido à falta de maturação da energia do rim. As pessoas idosas são propensas a ter oscilações nos ouvidos (zumbido) ou audição prejudicada devido ao esgotamento do qi dos rins com o tempo.

Fonte

 Limpando e melhorado a Energia dos Rins

 
 

Muito bom para hipertensos

Nossos Rins tem a função de controlar todo o equilíbrio de água em nosso corpo, fazem parte do elemento Água na medicina chinesa.

Armazenam a essência vital (energia vital que trazemos ao nascer), é deles que flui a corrente da energia ancestral.

Um elemento Água não saudável pode se manifestar em problemas de energia, dores nas costas, distúrbios urogenitais, problemas do sistema nervoso. tais como esclerose múltipla e doença de Parkinson, infertilidade, doenças nos ossos e dentes e falta de força de vontade.

A emoção ligada aos Rins é o MEDO.

Portanto, muito importante também trabalhar com terapia floral (a causa) essa emoção!!!

ATENÇÃO: Se você é adepto da medicina natural, experimente os efeitos terapêuticos da salsa e descubra porque os fitoterapeutas a recomendam até hoje; MAS CUIDADO!!! A salsa, através de uso interno, é contraindicada para gestantes e lactantes, pois um de seus componentes, o apiol, é estrogênico; isto é, altera o sistema reprodutor feminino e pode provocar o aborto. Fonte

Os anos passam e nossos rins vão filtrando nosso sangue para remover o sal e outros intoxicantes que entram no organismo.

Com o tempo, o sal se acumula e precisamos de uma limpeza.

Como fazer isso?

De acordo com o Padre Kneipp essa planta é um poderoso diurético, curando a retenção de água no organismo, sendo recomendada para pedra nos rins, reumatismo e cólica menstrual.

Sua alta concentração de vitamina C ajuda na absorção de ferro.

O suco de salsa, sendo uma bebida natural, pode ser tomado misturado com outros sucos, 3 vezes ao dia. Um amigo comentou que seu pai tomava suco de salsinha nos dias de quimio e que quase não tinha os efeitos colaterais. Para aqueles que estão enfrentando o câncer, sucos verdes são muito bons.

 Limpe seus Rins, nossa energia ancestral...


Salsa

(Petroselinum crispum (Mill.) Nyman)


Origem

Natural da Europa, a  salsa  (conhecida  também  por salsinha,  salsa  de  cheiro ou salsa hortense) foi trazida para o Brasil no início da colonização. Seu cultivo é relativamente fácil: pode ser cultivada em vasos e adapta-se muito bem a terrenos arenoargilosos, ricos em matéria orgânica, fracamente ácidos e bem drenados. Os antigos egípcios usavam na como um remédio para dor de estômago e distúrbios urinários. Os romanos acreditavam que a salsa evitava intoxicação e, portanto, a empregava para desodorizar o ar (repleto de álcool) durante seus banquetes. No passado acreditava se que ela era capaz de curar doenças como a malária, a peste e o envenenamento. Atualmente, ela é mais conhecida pelas suas propriedades diuréticas e carminativas.

Mas, afinal, como utiliza-la medicinalmente?

Propriedades Terapêuticas

Diurética (facilita a secreção da urina)

Emenagoga(provoca a vinda da menstruação)

Carminativa (combate os gases intestinais)

Expectorante (facilita a expectoração)

Antitérmica (combate a febre)

Eupéptica (melhora a digestão)

Vitaminizante (colabora na regeneração das células)

Aperiente (abre o apetite)

Antiinflamatória (combate inflamações)

Indicaçoes

As folhas podem ser utilizadas para combater:

Febres Intermitentes – Uso interno: suco – 1 colher de sopa três a quatro vezes ao dia.

Bronquite Asmática e Laringite Crônica – Uso interno: suco adoçado com mel – ½ xícara de café uma vez por dia, em jejum.

Equimoses – Uso externo: suco (sob a forma de compressa) – aplicar, no mínimo, três vezes ao dia.

Disenteria – Uso interno: chá por decocção – 1 xícara três a quatro vezes ao dia.

Inflamaçao e Edema de Pálpebras – Uso externo: sob a forma de cataplasma fria – aplicar várias vezes ao dia.

Hemorragias Nasais – Uso externo: introduzir folhas trituradas nas narinas.

Hemorragias de Ulceras e Feridas, Picadas de Insetos, Nevralgias – Uso externo: sob a forma de cataplasma – aplicar três a quatro vezes ao dia.

As raízes podem ser empregadas no combate a:

Gases Intestinais – Uso interno: chá por decocçao – 1 xícara três a quatro vezes ao dia.

Nefrite e Cistite – Uso interno: chá por infusao – 1 xícara três a quatro vezes ao dia.

Anasarca, Hidropisia, Edemas de Membros Inferiores – Uso interno: chá por decocção (de 30 a 100g para cada litro de água) – 1/2 xícara de 4 em 4 horas.

As sementes atuam na:

● Atonia Gástrica e Nevralgias em geral – Uso interno: chá por decocção – 1 xícara três vezes ao dia.

Há muitos anos a salsa é reconhecida como o melhor tratamento de limpeza dos rins.

E é um remédio natural!

A salsa é uma das ervas com propriedades terapêuticas menos reconhecidas. Ela contém mais vitamina C do que qualquer outro vegetal da nossa culinária (166mg por 100g). Isso é três vezes mais que a laranja.

A salsa contém também ferro (5.5mg / 100g), manganésio (2.7mg /100g), cálcio (245mg / 100g) e potássio (1mg / 100g) ...

Sendo recomendada para pedra nos rins, reumatismo e cólica menstrual.

Sua alta concentração de vitamina C ajuda na absorção de ferro.

O suco de salsa, sendo uma bebida natural, pode ser tomado misturado com outros sucos, 3 vezes ao dia.

As folhas podem ser mantidas no congelador, e seu uso é recomendo na culinária diária, pois além de saudáveis, dão ótimo sabor a qualquer receita.

Aplicação de Moxa no Ponto (R3)

Algo excepcionalmente bom que podemos fazer também para melhorar a energia dos Rins é a MOXABUSTÃO. Moxa é feita da erva de Artemísia, e serve para promover equilíbrio energético do organismo através do calor.

A combustão da Artemísia tem a propriedade de aquecer profundamente. A aplicação do calor produzido pela moxa nos pontos ou meridianos de acupuntura, remove bloqueios de energia que obstruem o seu fluxo pelos meridianos, eliminando a umidade e o frio que promovem disfunções no organismo.

O efeito do calor se soma a energia yang do corpo potencializando esse aspecto (yang) da energia (chi) podendo inclusive ser conduzido até o seu extremo ou seja a transformação no aspecto oposto da energia (yin). Na patologia chinesa as doenças reumáticas são classificadas como doenças do frio, da tristeza e da umidade. O frio patogênico tem características Yin e consome o Qi (Chi) Yang.

Predomina no inverno assim como as doenças do frio. Pode ser causado por contração e estagnação ou por exposição ao frio após transpirar, ou ser apanhado pelo vento e chuva.

Do ponto de vista da fisiologia chinesa a energia yang corresponde à tonificação (aumento da taxa metabólica) e a diminuição da rigidez e espasmo favorecem ao movimento.


Meridiano dos Rins

Moxabustão

Aceso, o bastão funciona como um  charuto que deve  ser  aproximado  do ponto ao qual se deseja acrescentar energia (na foto acima).

Colocar o mais próximo possível do local, ao sentir desconforto (calor excessivo, queimar), afastar ligeiramente do local, porém continuar por 10 minutos. Poderá ser feito no mínimo 2 vezes ao dia pela manhã e a noite. Vá batendo a cinza que vai se acumulando com a queima do bastão de moxa.


 


Feijão preto para os Rins

Há muito que sei através de Medicina Chinesa e alimentos, sobre os benefícios do feijão preto para os Rins... Coloco aqui essa receita da Sonia...

******

Esta receita de sopa é tradicional no Oriente por fortalecer os rins e as glândulas adrenais, ou suprarrenais – aquelas responsáveis por nos dar condições de reagir em situações de estresse.

O inverno é o grande momento de dar atenção aos rins. Quem sente muito frio pode estar demonstrando fragilidade nessa área.

A sopa de feijão preto, além de ser deliciosa, aquece o corpo e seu efeito dura vários dias. Pode ser repetida uma vez por semana, mas não deve ser guardada na geladeira: a recomendação é toma-la à vontade, mas num dia só.

1 xícara de feijão preto

1 cebola média picada

1/2 colher (café) de sal

1/2 colher (café) de cúrcuma em pó

1/2 colher (café) de gengibre em pó

1/2 colher (café) de cominho em pó

1/2 colher (café) de pimenta do reino em pó

1 colher (café) de sementes de funcho

Deixar o feijão de molho na véspera, trocando a água (muito importante). Levar ao fogo e descartar a água da primeira fervura. Cozinhar em panela meio tampada durante 2 ou 3 horas, juntando água se necessário. Acrescentar os temperos quando o feijão estiver macio, refogando em azeite ou direto na água. Servir com salsa e cebolinha picadas, ou coentro, e pronto. Tomar o quanto quiser no mesmo dia, se possível mantendo a sopa quente em banhomaria; não guardar a sobra.

Sonia Hirsch

 CUIDE BEM DE VOCÊ