Avaliação / Diagnóstico por Radiestesia

Pêndulo Egípcio: cópia de um pêndulo encontrado em um sarcófago do Vale dos Reis. É extremamente sensível e, por isso, muito útil em biometria e radiestesia mental. É neutro, pois nenhuma emissão pode impregná-lo. Pêndulos, um simples fio e um contrapeso, poderosos receptores e irradiadores de energia sutil, que conectam o radiestesista com todas as coisas em todas as dimensões sem as barreiras do espaço e do tempo. A Radiestesia em seu processo de análise não investiga apenas as causas físicas e orgânicas de um dado problema, ela vai, além disso, e busca principalmente as causas energéticas de um dado distúrbio.

Radiestesia

Definir esta palavra não é tão simples como pode parecer à primeira vista. Radiestesia é a união de dois termos: Radius, que vem do latim e significa radiação, e aisthesis, de origem grega e que significa sensibilidade, indicando assim a sensibilidade as radiações.

A Radiestesia parte do pressuposto que tudo no universo emite uma energia, ideia esta que embora pudesse parecer tolice há alguns anos atrás encontra cada vez mais a aceitação de físicos e químicos. Este campo energético emitido por tudo possui graus diferentes, a energia emitida pela água por exemplo é diferente da energia emitida pelo chumbo, e ainda seguindo este raciocínio podemos dizer que um órgão são possui uma emissão energética diferente do mesmo órgão enfermo.

Querendo ou não o homem está constantemente cercado de energias eletromagnéticas, planetárias, telúricas etc..., sejam estas derivadas de instalações elétricas, satélites, microondas, redes de alta tensão entre outras fontes. O problema é que não conseguimos perceber seus efeitos ou a sua presença, até que estas venham a nos prejudicar.

A Radiestesia é a técnica que permite o contato com tais energias, através do desenvolvimento da sensibilidade do Radiestesista. Ao contrário do que muitos imaginam a Radiestesia é algo muito antigo, sendo encontradas práticas radiestésicas entre diversos povos antigos como os Chineses, Egípicios, Sumerios, Romanos entre tantos outros povos.

Existem diversos instrumentos que são usados na prática radiestésica, sendo o mais famoso de todos o pêndulo e a varinha em V, dada a facilidade de manuseio de que ele é dotado, o baixo custo para obtê-lo e a precisão do diagnóstico fornecido pôr este aparelho. Quer Ter uma ideia do uso prático da Radiestesia? Isto já é bem mais fácil, ela pode ser usada em praticamente tudo. Quer encontrar um objeto perdido? Esta foi uma das áreas mais estudadas na Radiestesia, com resultados muito bons.

A Radiestesia foi muito usada ainda para encontrar água, minerais de diversas classes, pessoas, criminosos, enfim, foi usada para tudo quanto a imaginação humana permitiu até o presente momento, e na mão de bons Radietesistas sempre ocorreu uma margem de acertos muito superior ao que permite o acaso.

Algo que se deve deixar claro ao estudante desde o princípio é que a Radiestesia não é algo místico, nada tem a ver com mediunidade ou com dons difíceis de se conquistar, a Radiestesia é algo natural ao ser humano e que segundo nossos estudos 90% da população pode desenvolver com um pouco de estudo e prática. É claro que existe uma parcela de pessoas que desenvolve estas técnicas com muita rapidez enquanto que outras demoram mais, mas mesmo os que dão mais trabalho podem vir a ser radiestesistas muito competentes.

Outro ponto que deve ser frisado, não é o pêndulo ou qualquer outro instrumento de Radiestesia que capta as energias, é algo muito mais fantástico e misterioso que faz este trabalho; a mente humana. De fato a mente do operador capta as energias e se comunica com a parte consciente do radiestesista através de uma linguagem pré-estabelecida pelo próprio radiestesista. Para ficar um pouco mais claro, o inconsciente capta a energia, e para que o operador saiba o que foi captada o cérebro envia sinais através do sistema nervoso, estes impulsos são os verdadeiros responsáveis pelo movimento do pêndulo, ou seja, nada há de sobrenatural em tal coisa.(...)

Entre as diversas aplicações da radiestesia, temos:

· Pesquisa psicológica - Permite a avaliação de potenciais latentes, distúrbios psicológicos, etc.

· Pesquisa arqueológica - Permite a localização de objectos soterrados, documentos históricos, determinação de profundidade e natureza de objectos.

· Pesquisa médica e veterinária - Permite o diagnóstico de distúrbios e doenças e a escolha da terapia mais adequada para cada caso.

· Dia-a-dia - Permite a análise das compatibilidades pessoais, seja no nível emocional, mental, financeiro, sexual, afectivo e etc. valendo-se apenas de uma fotografia como testemunho energético da pessoa pesquisada.

· Para terapeutas - Análise de chacras, meridianos, aura e corpos sutís. Permite um completo diagnóstico (...)

  Fonte

MEDIÇÃO por RADIESTESIA PELO BIÔMETRO DE BOVIS

ANTOINE BOVIS

BIÔMETRO DE BOVIS, foi criado pelo físico francês Antoine Bovis com a ajuda do engenheiro Simoneton. Na escala, a medida usada foi o Angström, que é a unidade de medida do comprimento de onda. Um Angström equivale a décima milionésima parte de milímetro. Para efeitos da SAÚDE do ser humano que é a medicação que faço por RADIESTESIA, colocarei aqui somente a marca do biômetro nas questões de sua ENERGIA FÍSICA baixa ou acima e também sua ENERGIA ESPIRITUAL ou MENTAL.


A marca de 6.500 é a radiação dos seres humanos, acima disso se tem SAÚDE, ainda que se encontre com BAIXA ENERGIA. Abaixo disso, DOENÇA ou BAIXA VITALIDADE. Quanto a medida no ser humano chega até 8.000 Angström [Å], sua ENERGIA FÍSICA está na escala de medição como ÓTIMA. O biômetro mede a intensidade do lugar, a vibração das pessoas, plantas, animais, frutas, etc…

Com inquietude semelhante à de Paracelso e trezentos anos depois, sem considerar outros ilustres cientistas e pesquisadores do período, o radiestesista francês Antoine Bovis (1871–1947), um franzino homem de sete instrumentos, não se contentou apenas em desvendar alguns dos muitos mistérios que envolvem a construção da Pirâmide de Quéops. Ele, dentre outras coisas, deu os primeiros passos para detalhar o processo de desidratação e mumificação da carne, além de pequenos animais no interior de uma pirâmide, como dito em sua publicação “Método Nice de radiestesia...”.

O encantamento dos amantes da RADIESTESIA se deu em decorrência dos achados do RADIESTESISTA francês Antoine Bovis (1871–1947), com destaque para as conclusões apresentadas em sua publicação “Método Nice de radiestesia baseado na indução de todos os corpos”, que teve como suporte a “Teoria de indução dos corpos”.

Nesse relatório, Bovis se mostra fascinado com as observações feitas no livro “Le Secret des Pharaons”, de autoria do Abade Moreux, Diretor do Observatório de Bourges, um autêntico opositor das práticas radiestésicas – qualidade que daria mais autenticidade à tese de que os egípcios conheciam AS TÉCNICAS RADIESTÉSICAS e que faziam uso delas, para orientar seus monumentos.

Parece muito?

Bovis foi mais longe! Contribuiu para salvar a vida do engenheiro André Simoneton que, por sua vez, foi um dos inspiradores das ideias do Dr. Albert Abrams - homem que lançou as bases de uma das técnicas energéticas mais polêmica iniciadas no século passado, a RADIÔNICA.



Nikola Tesla
e sua maravilhosa  energia escalar



A energia escalar existe desde a criação do mundo.

Ela paira ao nosso lado, ocupa o espaço que o átomo deixa entre os elétrons que giram ao seu redor. Ela está em todos os lugares e é criada de forma natural e artificial.

Difere muitíssimo da energia elétrica e magnética, que são hertzianas  e podem ser detectadas por aparelhos, pois se movem em um sentido. A onda escalar é estática e estacionária. Não existem aparelhos que possam detectá-la.

Ao contrário da energia eletromagnética, que se irradia em forma de ondas, a energia escalar se expande para fora dos círculos de energia, ocupa espaços com campos de energia biológica e espalha-se em uma rede de energias harmoniosas e equilibradas.

A energia escalar e a energia do nosso corpo sutil formam o nosso campo bioenergético e só podem ser detectadas com aparelhos de RADIESTESIA.

A ENERGIA QUE MOVE O PÊNDULO é escalar. Seu descobridor foi  James Clertz Maxcrill que previu a energia escalar por fórmulas matemáticas.

Entretanto, foi o iugoslavo Nikola Tesla quem conseguiu gerar em laboratório a energia escalar sem uso de fios. Engenheiro elétrico, físico e inventor, Nikola Tesla foi considerado o ”pai da energia escalar”, cuja existência foi  reconhecida por Albert Einstein em 1920.

FORMAS QUE DESENCADEIAM A ENERGIA ESCALAR

A partir das descobertas de Nikola Tesla sobre energia escalar e seus benefícios para a saúde, foi constatado que vários instrumentos podem ativar essa energia presente abundantemente  na natureza. Certas formas como plantas, flores, árvores e todos os seres vivos têm seu campo de energia escalar.

Desde muitos anos, têm-se reportado que as pirâmides possuem energia escalar no seu interior e exterior. Os templos indianos, com sua base octaédrica  e os mantras também emitem essa energia que só pode ser medida por APARELHOS DE RADIESTESIA.

A energia ou onda escalar está em todos os lugares, paira no ar estática e estacionária. Ela é capaz de TRANSPORTAR INFORMAÇÕES e formar escudos protetores em torno do ser humano sem perder potência com o passar do tempo ou distância.

Por Nelson Pires Modesto

Quem é o pesquisador Nelson Pires Modesto

  • Ex Professor da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp por 12 anos
  • Ex Professor titular e chefe do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Ciências Médicas da PUC Campinas por 22 anos
  • Especialista em medicina psiônica, realizando tratamentos com técnicas como radiestesia, bioressonância, homeopática e BDORT (bi-digital o-ring test)


Samuel Hahnemann (1755-1843) (criador da Homeopatia)

e suas Consultas por carta




Hoje, em pleno século XXI, dizem que as consultas de terapia floral ditas virtuais (por e-mail, skype, msn, conferência eletrônica, etc) não funcionam para o atendimento das pessoas. Que o profissional não tem o “feeling” necessário porque não está em frente ao seu paciente. Então,  o que dizer desta carta de Samuel Hahnemann (pai da Homeopatia) ao seu paciente? Leia-a e depois deixe o seu comentário.

Por volta do ano de 1800, Hahnemann (na época, com 45 anos) recebeu uma carta escrita por um alfaiate de 42 anos, que era portador de estrutura orgânica delicada e lhe pedia orientação medicamentosa para se tratar de estafa. Naquela época um profissional daquele ofício geralmente era homem culto e ele recorreu ao auxílio de Hahnemann após ter sido desenganado pelos médicos de sua região. Aparentemente sua consulta não foi em vão: consta que viveu ainda por mais de 50 anos após ter recebido a resposta de Hahnemann. 

Hahnemann mudava-se muito de domicílio e tratava de uma clientela que lhe era fiel, sendo comum que recebesse solicitações de consultas por carta, solicitações a que atendia também pela mesma via. Não diferente era o Dr. Edward Bach (médico bacteriologista, infectologista, homeopata e criador das essências Florais de Bach) que, nos idos de 1928, também atendia os seus pacientes por carta com excelentes resultados.





Dr. Edward Bach (
1886-1936)

Num futuro próximo, a consulta virtual será em 3D, ou seja, terapeuta e paciente estarão lado a lado virtualmente, mas cada um num lugar distante – esta tecnologia fantástica ajudará milhões de pessoas no mundo inteiro onde o espaço, tempo, trânsito, condições climáticas, etc não serão mais as barreiras para um bom atendimento.

Mas, vamos a carta de Hahnemann e veja o gênio em ação e o quão atual é o seu tema para os dias de hoje (que não o seja para todo o sempre…):

“O delicado engenho humano não foi projetado para o excesso de trabalho. Se algum ser humano assim proceder por ambição, amor ao lucro, ou por qualquer outro motivo pleno de louvor ou de censura, coloca-se em oposição à ordem da Natureza, e sujeita o seu corpo a sofrer dano ou destruição. Tanto mais se o organismo já estiver, por algum motivo, enfraquecido.

Então, meu caro amigo: o que não puderes fazer em uma semana, faze em duas. Teus fregueses podem não estar com paciência para aguardar, mas eles também não podem racionalmente querer que adoeças, ou que morras de tanto trabalhar a fim de satisfazer as vontades deles, transformando tua esposa numa viúva e teus filhos em órfãos. Não é só o aumento do trabalho físico o que está a te prejudicar, mas bem mais a tensão mental concomitante que, por sua vez, novamente afeta o corpo de maneira prejudicial. Se não assumires uma atitude de calma, indiferença, adotando o princípio de viver primeiro para ti mesmo, e só após para os outros, há pouca chance de que te recuperes.

Quando estiveres na tua sepultura os homens ainda estarão vestidos, talvez não com tanta elegância, mais ainda toleravelmente bem. Se fores sábio, podes tornar-se saudável e até mesmo atingir uma idade avançada.

Se algo te importuna, ignora-o; se algo te é demais, não te ocupes com isso; se outros tentam manipular o teu tempo, vai devagar e ri dos tolos que queiram te aborrecer. Aquilo que puderes confortavelmente realizar, realiza; não te molestes com o que não puderes fazer, pois as nossas condições materiais não melhoram através da pressão exercida por sobrecarga de trabalho. Tu apenas te desgastarás proporcionalmente mais com teus afazeres domésticos sem aferir qualquer lucro no final.

Economia e limitação de supérfluos (aqueles bens que quem trabalha duro quase sempre não possui) nos coloca em posição de viver com maior conforto – ou seja, de maneira mais racional, mais inteligente, mais de acordo com a Natureza, com mais alegria, maior tranquilidade e melhor saúde. Por conseguinte devemos agir com mais comedimento, sabedoria e prudência, ao invés de trabalharmos em esbaforida correria, submetendo nossos nervos à constante tensão, que destrói os mais preciosos tesouros da vida: paz no pensamento e boa saúde.

Sê mais prudente, considera a ti mesmo em primeiro lugar e deixa que tudo o mais te seja secundário em importância; e, se porventura afirmarem, em nome da honra, que faz parte de teus compromissos produzires mais do que for bom para o teu potencial físico e mental, mesmo assim, por amor a Deus, não te permitas ser conduzido a fazer o que é contrário ao teu próprio bem-estar.

Permanece surdo à corrupção do elogio, acalma-te e segue teu próprio curso lenta e suavemente, como um homem sadio e sensato. Desfrutar com a mente e corpo tranquilos, esta é a razão para a qual o homem está no mundo, e para trabalhar somente o tanto necessário para conquistar os meios desse desfrute – e não, com certeza, para se deixar consumir e fatigar pelo trabalho.

O eterno esforço e empenho dos mortais de curta visão a fim de lucrar mais e mais, de assegurar uma honra ou outra, de prestar um serviço a esta ou àquela personalidade — tudo isso geralmente é fatal ao bem-estar e constitui causa comum de envelhecimento e de morte precoces.

O homem calmo e moderado, que deixa as coisas fluírem suavemente, atinge o mesmo objetivo, vive mais tranquilo e saudavelmente, e conquista uma boa velhice. Em seus momentos de paz pode haver espaço para acolher uma ideia feliz, fruto de um pensamento sábio e original, que dê um ímpeto lucrativo aos seus afazeres temporais. Lucro bem maior do que pode ser obtido pelo homem sobrecarregado que nunca encontra tempo para concentrar seus pensamentos.

Para vencer a corrida, só velocidade não é suficiente. Empenha-te em permanecer um pouco indiferente, em ser calmo e tranquilo e então chegarás a ser aquilo que eu desejo que tu sejas. Experimentará coisas maravilhosas; verás quão saudável te tornarás se seguires o meu conselho.

E teu sangue correrá calmo e serenamente em tuas veias, sem esforço ou agitação. Nenhum sonho terrível perturba o sono daquele que se deita para repousar com nervos calmos, e o homem que está livre de preocupações acorda pela manhã sem ansiedade a respeito dos múltiplos afazeres que o aguardam durante o dia.

Para que se preocupar? A alegria da vida lhe é mais importante do que qualquer outra coisa. Com fresco vigor inicia moderadamente teu trabalho e durante tuas refeições nada, nem ebulições de sangue, nem preocupações, nem ansiedade te impeçam de saborear o que o Beneficente Provedor da Vida coloca diante de ti; e assim, um dia se segue a outro em tranquila sucessão, até que, finalmente, com uma idade avançada, chegues ao término de uma vida bem vivida, e repouses serenamente noutro mundo, como neste calmamente viveste.

Isto não é mais racional, mais sensato? Deixa que os homens insaciáveis e autodestrutivos hajam tão irracional e danosamente contra si mesmos quanto o quiserem; deixa que sejam tolos, mas tu deves ser mais sábio.

Não me deixes revelar esta sabedoria a respeito da vida em vão. Quero-te bem.

Adeus. Segue meu conselho e quando tudo estiver bem contigo, lembre-se do Dr. S. Hahnemann.

PS: Ainda que te vejas reduzido ao teu último centavo, permaneça alegre e de bom ânimo. A Providência olha por nós e uma boa oportunidade deixa tudo certo de novo. Quanto necessitamos para viver, para restaurar nossas forças com alimentos e líquidos sadios, ou para nos defendermos do frio e do calor? Pouco mais do que coragem. Quando nós a possuímos, podemos obter o essencial sem muito problema. O sábio não necessita senão de pouco. A energia conservada não precisa ser renovada por remédios”.

Hahnemann viveu 88 anos (1755-1843) numa época onde a esperança de vida era bem mais baixa que os tempos atuais.

Autor: Josef Karel Tlach

 

Cuide bem de você...