O efeito da TERAPIA BIOMAGNÉTICA na saúde humana

Reportagem Fantástico

Publicado em 11 de out de 2014

A CARÊNCIA

Segundo os estudos do Prof. Naoto Kawaida da Univ. de Osaka (1976) a energia magnética do planeta Terra reduziu pela metade nos últimos 500 anos e com tendência de reduzir cada vez mais.

Anos atrás o homem era mais rural, andava descalço na terra, as crianças brincavam em quintais e a qualidade da Saúde era melhor. Hoje o Homem "moderno", urbanizou-se, usa calçado e piso isolante, rua pavimentada, mora em locais onde as estruturas tem muita ferragem, carros etc.., Estes elementos desviam e absorvem o magnetismo, contribuindo assim para uma redução da energia vital para o homem e consequentemente deixando-o mais vulnerável às doenças.


A "Síndrome da escassez Magnética" causa o cansaço, dores no corpo, nervosismo, insônia, rigidez nos ombros e nuca, depressão, problemas circulatórios, câimbras, dormências, enxaqueca, desânimo e falta de vontade e disposição e outros sintomas que o homem rural praticamente não sente.

O EFEITO

O Magnetismo atua sobre o corpo humano gerando um novo tipo de eletricidade, chamada indução eletromagnética, capaz de ionizar o sangue, ativando a circulação sanguínea, contribuindo para a melhor oxigenação das células e principalmente melhorando o funcionamento dos nervos autônomos.

As ondas magnéticas produzem um aumento do aporte de oxigênio tecidual através da magnetização da apoferrina da hemácia (metal de ferro existente na corrente sanguínea - bióxido de ferro - glóbulo vermelho), aumentando muito o metabolismo envolvido nas cicatrizações e nos processos de regeneração.


Este "tratamento" abrange um vasto número de doenças como: reumatismo, artrite, eczema, varizes, (feridas varicosas), ciatalgia, dores em geral, queda dos cabelos, rugas, doenças degenerativas e outras. Os imãs tem função diferenciada nos seus polos (norte e sul) a energia emanada do positivo (Norte) é aplicada em traumas recentes, dores e algumas infecções, a energia emanada do negativo (Sul) é aplicada em dores crônicas, regeneração dos tecidos, cicatrização e inflamação.

Porém obtêm-se muito mais resultados positivos aplicando a bipolaridade contínua.

EFEITO TERAPÊUTICO

O corpo humano possui eletricidade - magnetismo (fraquíssimo), por isso temos campo magnético cerebral (a mais fraca entre todas - 10 Gauss proveniente da corrente elétrica alfa), campo magnético do coração, pulmão, etc.


O corpo humano é constituído de células e as ondas eletromagnéticas pulsáteis alternantes atuando nestas que são constituídas por átomos, possuindo íons positivos e negativos provocam o aumento circular nas mesmas e grandes velocidades, e como todo o movimento produz calor, dentro do fluido sanguíneo também produz calor que irá fluidificar mais o sangue, melhorando assim a circulação sanguínea.


Aumenta a irrigação sanguínea de um órgão ou região do corpo, pela distensão dos vasos sanguíneos (vasodilatação).

Com o aumento da irrigação sanguínea, ocorre maior nutrição aos tecidos, maior oxigenação, melhorando o metabolismo celular. Há um melhor aporte de leucócitos (glóbulos brancos) e anticorpos, favorecendo a recuperação, aumentando a capacidade de imunidade do organismo e ajudando na autocura.

Colabora na renovação das células.

Estimula a produção de hormônios que regulam o funcionamento orgânico.

Aumenta a capacidade de excitação dos nervos sensitivos e a capacidade de resposta motora dos nervos eferentes, pois a melhoria da absorção de O2 + glicogênio pelos neurônios potência as suas funções.

Como a mudança da polaridade provoca atração de substâncias magnéticas e repulsa as antimagnéticas, facilita os fluxos iônicos transmenbrânicos. Como resultado aumenta o movimento de O2 e as substancias resultantes das trocas metabólicas (toxinas) são mais facilmente consumidas e eliminadas.

A micro vibração produzida pela irradiação das correntes magnéticas e o calor produzido ajudam e reduzir ou suprimir a dor porque há liberação de uma substância chamada de endorfina (produzida pela glândula suprarrenal) à corrente sanguínea, a qual ajuda a diminuir a sensibilidade a dor.

Atualmente diversos hospitais Federais e Universitários do Japão utilizam e apresentam depoimentos e relatórios extraordinários sobre a eficácia da Eletromagnetoterapia em doenças vistas até então como irreversíveis como Diabetes em 2º grau, Parkinson, Vitiligo e até o Câncer. Com essas atuações demonstradas e comprovadas, conseguiu aprovação do Ministério da Saúde do Japão, por sinal, extremamente rigoroso, o registro sob o nº 59B 1200 em 21 de Agosto de 1987.

Biomagnetismo Médico e sua comprovação científica

Publicado em 10 de mai de 2014

Em maio de 2009, mais de 200 pessoas foram tratadas em apenas quatro dias por Dr Isaac Goiz Duran, descobridor do Biomagnetismo Médico e Dr. Raymond Hilu, foram tomadas amostras de sangue antes do diagnóstico com ímãs e outra depois de ter sido feito o tratamento com o Biomagnetismo Médico através de pontos correspondentes a serem abordados, a fim de verificar se os microrganismos identificados como responsáveis ​​por suas patologias foram realmente presentes sim ou não no sangue pós-tratamento.